[Página da IACM]


Boletim da IACM de 04. Maio 2016

Australia: Victoria tornou-se o primeiro estado a legalizar o uso medicinal da cannabis

Victoria tornou-se o primeiro estado na Austrália a legalizar o uso da cannabis medicinal. As crianças com epilepsia grave serão as primeiras a ter acesso à droga, em 2017, disse a Ministra da Saúde de Victoria, Jill Hennessy, depois do Parlamento ter aprovado a lei (Access to Medicinal Cannabis Bill). A legislação permite a produção, fornecimento e acesso a produtos de cannabis medicinal no estado.

"Estamos a começar com estas crianças com epilepsia grave, cujas vidas já revelaram melhorar de forma tão significativa, porque sabemos que estas crianças muitas vezes não chegam à idade adulta", afirmou a ministra. "Eu só acho que nos dias que correm e nesta idade, é injusto e inaceitável pedir a um pai que decida entre obedecer à lei e agir no melhor interesse de seu filho", disse Jill Hennessy. A ministra afirmou que o acesso à droga - disponível numa variedade de formas, incluindo tinturas, óleos, cápsulas, sprays e líquidos vaporizáveis - será implementado gradualmente e, eventualmente, disponibilizado para cuidados paliativos e doentes com HIV.

ABC News de 12 de abril de 2016.

Alemanha: O Tribunal Administrativo Federal obriga o Ministério da Saúde a permitir o cultivo de cannabis medicinal para uso pessoal

A 6 de abril, o Tribunal Administrativo Federal de Leipzig decidiu que o Ministério da Saúde Federal tem de autorizar o cultivo de cannabis por parte de um homem de 52 anos, com esclerose múltipla, de Mannheim. A decisão é de fundamental relevância. Todos os pacientes que até agora receberam uma autorização para usar flores de cannabis da farmácia - atualmente cerca de 600 -, mas não têm os meios financeiros para comprar a medicação, têm agora a possibilidade de tentar cultivar a cannabis. Num comunicado de imprensa, o Tribunal escreve: "O tratamento de paientes gravemente doentes com cannabis auto-cultivada é excepcionalmente de interesse público, uma vez que (...) não há outra medicação à sua disposição que seja igualmente eficaz e acessível".

Uma vez que esta decisão era esperada, o Governo Federal apresentou, a 7 de janeiro de 2016, um projeto detalhado de uma lei para criar uma agência estatal de cannabis que regulamente o cultivo e distribuição de cannabis para farmácias. Mais pacientes teriam acesso regulado à droga com base em prescrições e paga pelos seus seguros de saúde, de acordo com as medidas delineadas na proposta de lei. Obrigando os seguros de saúde a reembolsar os custos do tratamento, o governo quer evitar que os pacientes tenham de cultivar cannabis por conta própria e tenham de ser autorizados a fazê-lo. Espera-se agora que o Governo Federal tente aprovar o projeto de lei mais depressa para evitar a aplicação da decisão.

Comunicado de imprensa do Tribunal Administrativo Federal de 6 de abril de 2016.

EUA: Pensilvânia vai legalizar o uso de cannabis medicinal

A Pensilvânia será, provavelmente, o 24.º estado dos EUA a legalizar o uso da cannabis para fins medicos, depois de o legislador estatal a 13 de abril ter aprovado uma lei que o Governador Tom Lobo prometeu assinar. O projeto de lei irá permitir a utilização de óleo de cannabis e respetivos extractos, embora ainda proíba que se fume a droga, para tratar ou aliviar os sintomas de uma longa lista de doenças, incluindo autismo, epilepsia e náusea causada por quimioterapia.

O projeto, que foi aprovado por uma votação 149-46 na Câmara dos Deputados do Estado, estabelece uma infraestrutura para o crescimento, distribuição, regulação e tributação de cannabis medicinal. "A cannabis é um medicamento e está vindo para a Pensilvânia", disse após a votação o senador estatal Daylin Leach, um democrata de Filadélfia. "As crianças com epilepsia de difícil controle, veteranos com PTSD, avós com cancro, e milhares de outros doentes de Pensilvânia vão finalmente receber a ajuda que necessitam".

Reuters de 14 de abril de 2016.

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis associado a uma redução da morte precoce após ataque cardíaco

O consumo de cannabis foi associado a uma redução da mortalidade intra-hospitalar após o enfarte do miocárdio. Este é o resultado de um estudo realizado por investigadores da Universidade do Colorado em Aurora, EUA, que comparou 3854 pacientes, que consumiram cannabis, com 1.273.897 pacientes que não consumiram cannabis. Foram analisados registos hospitalares de 8 estados sobre o enfarte agudo do miocárdio (EAM). Os perfis clínicos e os resultados em pacientes com relato de consumo de cannabis foram comparados com pacientes onde o consumo de cannabis não foi relatado. Os pacientes com mais de 70 anos e aqueles que consumiram cocaína, metanfetaminas ou álcool foram excluídos.

Não houve diferença entre os dois grupos no que se refere à morte, ataque cardíaco e choque. No entanto, os pacientes que consumiram cannabis registaram uma pequena diminuição do risco de mortalidade intra-hospitalar (OR 0,83). Os autores escreveram: "Relatamos várias novas observações sobre o efeito do consumo da cannabis nos resultados após o EAM. Surpreendentemente, parece que o consumo da cannabis está associado à diminuição da mortalidade pós EAM".

Johnson-Sasso CP, Kao D, Walker LA. Marijuana use and short-term outcomes in patients hospitalized for acute myocardial infarction. J Am Coll Cardiol 2016;67(13_S):569-569.

Notícias

Ciência/Humanos: Balanço sobre cannabis e cancro pelo Instituto Nacional do Cancro dos EUA
O National Cancer Institute disponibilizou gratuitamente informações detalhadas sobre cannabis e canabinóides, para pacientes e profissionais de saúde.
Cannabis and Cannabinoids (Physician Data Query): Versão para pacientes.
Cannabis and Cannabinoids (PDQ): Versão para profissionais de Saúde.

Ciência/Células: O CBD pode desempenhar um papel no escurecimento das células de gordura branca
O recrutamento de células de gordura castanhas em células de gordura brancas (escurecimento) e a ativação das células de gordura castanhas existentes estão atualmente a ser estudados como meio para combater a obesidade. Os investigadores mostraram que o CBD (canabidiol) pode desempenhar um papel no escurecimento das células adiposas brancas, no aumento da gordura que se queima, na produção de calor e na redução da produção de gordura. Os investigadores escreveram que "o CBD pode ser explorado como um agente terapêutico potencialmente promissor para a prevenção de obesidade".
Universidade Daegu, Gyeongsan, República da Coreia.
Parray HA, et al. Mol Cell Biochem. 11 abr 2016. [na imprensa].

Alemanha: Aprovado primeiro inalador portátil de cannabis
A empresa alemã Storz & Bickel anunciou a aprovação do Mighty Medic, o primeiro inalador portátil de cannabis legal. É indicado para inalação de canabinóides a partir de flores de cannabis secas, para uso em casa ou em um hospital. Em 2010 a Storz & Bickel lançou o primeiro inalador de cannabis medicinal oficinalmente aprovado, o Volcano Medic Vaporizer.
Storz & Bickel.

Ciência/Humanos: Síndrome de Dravet pode estar associada a uma desregulação do sistema endocanabinóide
Os cientistas descobriram uma regulação positiva dos receptores CB2, associada com a ativação de linfócitos e alterações nos genes relacionados com a inflamação, em doentes com síndrome de Dravet, uma forma rara de epilepsia. Os autores escreveram que pode haver "uma desregulação do sistema endocanabinóide no cérebro".
Universidade Complutense de Madrid, Espanha.
Rubio M, et al. Pharmacol Res Perspect 2016; 4 (2): e00220.

EUA/Reino Unido: Extracto de CBD será testado em crianças com esclerose tuberosa
A fabricante do extrato de CBD Epidiolex, GW Pharmaceuticals, anunciou que vai iniciar um estudo clínico com a sua medicação para o tratamento da esclerose tuberosa nos EUA. Este é um distúrbio genético raro, cujo sintoma mais comum é a epilepsia.
Comunicado de imprensa da GW Pharmaceuticals de 11 de abril de 2016.

Europa: EURopeus gastam 24 mil milhões de EURos em drogas ilegais
Os cidadãos da União EURopeia gastam cerca de 24 mil milhões de EURos em drogas ilícitas por ano, conclui um relatório da EURopol e do centro de monitorização de drogas da União EURopeia OEDT de 5 de abril. Estes números classificam a venda de drogas como uma das atividades mais rentáveis no continente no que respeita ao crime organizado.
Reuters of 5 April 2016.

EUA: Agonista do recetor CB2 já pode ser testado em esclerose sistémica
A Corbus Pharmaceuticals anunciou que as autoridades dos Estados Unidos (FDA) deram aprovação para um estudo clínico aberto de 12 meses de duração de Fase 2 agora em curso do Resunab, um agonista seletivo do receptor CB2 para o tratamento de esclerose sistémica cutânea difusa ("esclerodermia").
Comunicado de imprensa da Corbus Pharmaceuticals de 12 de abril de 2016.

Ciência/Humanos: Uso crónico de cannabis associado a uma redução da qualidade do sono
Num estudo com 41 adultos jovens, que consumiram cannabis, o maior consumo de cannabis nos últimos anos foi associado a uma pior qualidade do sono.
Departamento de Psicologia da Universidade de Wisconsin-Milwaukee, EUA.
Maple KE, et al. Am J Drug Alcohol Abuse. 13 abr 2016:1-10. [in press].

Ciência/Animais: Receptores canabinóides desempenham um papel importante na visão
A retina é uma camada sensível à luz do tecido no olho. Novos estudos com macacos mostram que os receptores CB1 e CB2 desempenham um papel importante na função da retina.
Universidade de Montreal, Canadá.
Bouskila J, et al. Neural Plast 2016;2016:1253245.

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis associado a um aumento do risco de parto prematuro
Numa análise de 14.326 recém-nascidos em 2010, o consumo de cannabis foi associado a um aumento do risco de parto prematuro, que é o nascimento com tempo de gestação inferior a 3 semanas antes da data normal de nascimento.
INSERM, Paris, França.
Prunet C, et al. J Gynecol Obstet Biol Reprod (Paris). 5 abr 2016. [na imprensa].

Ciência/Animais: Activação do receptor CB2 benéfica num modelo animal da doença de Parkinson
Em ratinhos geneticamente modificados, os chamados ratinhos LRRK2, que servem como um modelo animal da doença de Parkinson, a ativação do recetor CB2 inverteu parcialmente défices no seu comportamento.
Faculdade de Medicina, Universidade Complutense de Madrid, Espanha.
Palomo-Garo C, et al. Pharmacol Res. 5 abr 2016. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Consumidores de cannabis menos propensos a serem obesos
Um estudo com 328 mulheres afro-americanas mostrou que os consumidores de cannabis ativos eram menos propensos a ter excesso de peso e obesidade.
Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, Baltimore, EUA.
Li J, et al. Subst Use Misuse. 6 abr:1-13 [na imprensa]

Ciência/Animais: Endocanabinóides reduzem a náusea antecipatória em modelos animais
A inibição da degradação de endocanabinóides por inibição de enzimas da FAAH (hidrolase das amidas dos ácidos gordos) e MAGL (lipase monoacilglicerol), que são responsáveis pela degradação dos endocanabinóides reduziram as náuseas em dois modelos de rato de náusea antecipatória. Esta forma de náuseas ocorre antes da quimioterapia do cancro devido ao medo de quimioterapia.
Universidade de Guelph, Canadá.
Parker LA, et al. Psychopharmacology (Berl). 6 abr 2016 [na imprensa]

Relembrando o passado

Um ano atrás

Dois anos atrás

[Voltar à visão geral]  [Página da IACM]


up

IACM on Twitter

Follow us on twitter @IACM_Bulletin where you can send us inquiries and receive updates on research studies and news articles.