[Página da IACM]


Boletim da IACM de 12. Abril 2016

IACM: Organizações parceiras selecionadas e cooperação educacional com ICEERS

O Comité da Rede do Conselho de Administração do IACM selecionou as primeiras organizações parceiras, que são publicadas no site do IACM. Essas organizações são:

CAMEDA Cannabis Medicinal Argentina
La Asociación Costarricense para el Estudio e Intervención en Drogas (ACEID)
L’Union Francophone pour les Cannabinoïdes en Médecine (UFCM)
Arbeitsgemeinschaft Cannabis als Medizin (ACM)
Medical Cannabis Declaration (MCD)
Associazione Cannabis Terapeutica (ACT)
Consiglio per la ricerca in agricoltura e l'analisi dell'economia agraria (CREA-CIN)
Società Italiana Ricerca Cannabis (SIRCA)
Japanese Clinical Association of Cannabinoids (JCAC)
Stichting Patiënten Groep Medicinale Cannabis Gebruikers, normalisering cannabis (PGMCG)
Društvo Prekmurske Pobude (ONEJ)
The International Center for Ethnobotanical Education, Research & Service (ICEERS)
Asociación de Usuarios y Estudios del Cannabis en Murcia (Salvados Asociación)
Swiss Task Force for Cannabinoids in Medicine (STCM)
American Alliance for Medical Cannabis (AAMC)
American Cannabis Nurses Association (ACNA)
Americans for Safe Access (ASA)
The Medical Cannabis Institute (TMCI)
Patients Out of Time
Project CBD

A primeira ação concreta desta parceria é uma cooperação educacional entre a IACM e o ICEERS, do Uruguai. Numa carta a Raquel Peyraube, do ICEERS, o presidente, Mark Ware, e o diretor executivo, Franjo Grotenhermen, da IACM, escreveram: "É com satisfação que a Associação Internacional para o Uso Medicinal da Cannabis (IACM) escreve a dar aprovação total ao vosso Curso de Educação em Cannabis como Medicina, a ser realizado em 2016. A IACM verifica que cobrem uma ampla gama de temas relevantes para o papel da cannabis na medicina, incluindo os potenciais benefícios e riscos numa seleção de áreas terapêuticas. Estamos muito satisfeitos por ver que muitos dos oradores e professores são membros da IACM”.

Atualmente o Comité está a selecionar embaixadores IACM de profissionais e pacientes. Os embaixadores vão receber uma carta oficial do IACM com a sua nomeação. O Conselho da IACM espera construir uma forte rede de apoio mútuo sobre questões relacionadas com ciência relativa ao uso medicinal de cannabis e canabinóides e o acesso aos mesmo por pacientes em todos os países do mundo.

Organizações Parceiras da IACM

Australia: Parlamento legaliza uso medicinal da cannabis

A 27 de fevereiro, o Parlamento aprovou uma medida para legalizar o uso medicinal da cannabis. A medida altera a Lei de Narcóticos, de 1967, para permitir “o cultivo e produção de resina de cannabis e da cannabis para fins medicinais e científicos", e autorizar "uma agência de governo estadual ou territorial para assumir [o] cultivo e produção de cannabis e [a] fabricação de produtos medicinais de cannabis".

"Este é um dia histórico para a Austrália e para todos aqueles que lutaram longa e arduamente para desafiar o estigma em torno dos produtos de cannabis medicinal e fazer com que pacientes legítimos deixassem de ser tratados como criminosos", afirmou a Ministra da Saúde, Sussan Ley, num comunicado.

CNN de 28 de fevereiro de 2016.

Canada: Pacientes podem continuar a cultivar a sua própria cannabis, decide tribunal federal

A 24 de fevereiro, um juiz de um tribunal federal de Vancouver determinou que os pacientes que usam cannabis para fins medicinais têm o direito constitucional de cultivar a sua própria cannabis, ultrapassando uma proibição introduzida pelo anterior governo conservador do Canadá. O tribunal suspendeu a sua decisão por seis meses para dar tempo ao governo para responder.

Um grupo de moradores da British Columbia levou o governo a tribunal em 2013, invocando a inconstitucionalidade de uma nova lei que exigia que os pacientes que tomavam cannabis medicinal comprassem a cannabis a produtores licenciados, em vez de cultivarem as suas próprias plantas. Alegaram que a cannabis cultivada sob o sistema do governo era muito cara e não lhes permitia controlar as estirpes e dosagens do seu tratamento. O governo conservador, que reformulou seu programa de cannabis medicinal em 2013, argumentou que o seu sistema de vendas por correspondência era mais seguro tanto para os pacientes como para os outros canadianos, que poderiam ser prejudicados pelo cultivo caseiro sem condições de segurança.

Reuters de 24 de fevereiro de 2016

Ciência/Humanos: Spray de cannabis Sativex com bons efeitos de longo prazo em vários estudos

Três artigos publicados na revista EURopean Neurology foram dedicados aos efeitos terapêuticos do spray de cannabis Sativex observados em Itália e Espanha. Os investigadores da Secção de Neurociências da Universidade de Catania, em Itália, analisaram dados de 1534 pacientes de 30 grandes centros italianos para o tratamento da esclerose múltipla. Eles descobriram que, após o primeiro mês, 61,9% dos pacientes alcançaram progressos na espasticidade suficientes para se qualificarem para a continuação do tratamento. Os sintomas associados à espasticidade, como cólicas e espasmos noturnos, melhoraram na maioria dos participantes.

Os cientistas da Universidade de Bari, Itália, apresentaram dados provisórios do estudo prospectivo observacional MObility ImproVEment (MOVE) 2, que está a recolher dados da vida real de resultados clínicos em pacientes com espasticidade de esclerose múltipla resistente ao tratamento tratados com Sativex. Na coorte italiana de 300 pacientes, o spray THC-CBD foi adicionado sobretudo ao baclofen oral. À semelhança do que aconteceu no MOVE 2-Alemanha, durante uma observação de 3 meses, com doses diárias médias que eram cerca de um terço mais baixas que as usadas nos ensaios clínicos, as interrupções do tratamento foram limitadas e os doentes registaram melhorias significativas na escala númerica 0-10 baseada no paciente e na escala Ashworth modificada, avaliada pelo médico.

A investigação espanhola, de cientistas do Hospital Regional Universitário Carlos Haya, em Málaga, apresentou um estudo de registo retrospetivo e um estudo de segurança prospetivo com o Sativex em 207 pacientes em 13 centros especializados. Os resultados estavam estreitamente alinhados com os dados de registo do Reino Unido/Alemanha/Suíça em termos de taxas de continuação de 1 ano (64,7%), dose média diária (6,6 vaporizações/dia) e perfil de segurança.

Patti F. Health Authorities Data Collection of THC: CBD Oromucosal Spray (L'Agenzia Italiana del Farmaco Web Registry): Figures after 1.5 Years. EUR Neurol 2016;75 Suppl 1:9-12.

Trojano M. THC:CBD Observational Study Data: Evolution of Resistant MS Spasticity and Associated Symptoms. EUR Neurol 2016;75 Suppl 1:4-8.

Fernández Ó. THC:CBD in Daily Practice: Available Data from UK, Germany and Spain. EUR Neurol 2016;75 Suppl 1:1-3.

Notícias

EUA: Florida vai decidir sobre a legalização da cannabis para fins medicinais em novembro
A Flórida decidirá em novembro se deve permitir o uso medicinal da cannabis no Estado. Uma medida para legalizar a droga conseguiu assinaturas suficientes para ir a votação em novembro próximo.
Miami Herald de 27 de janeiro de 2016

Canada: Dois terços dos canadianos apoiam a legalização da cannabis
A grande maioria dos canadianos concordam com o plano do governo liberal para legalizar a cannabis, e metade deles defendem que os utilizadores devem poder cultivar a sua própria cannabis em casa, concluiu um novo estudo The Globe and Mail/Nanos. O estudo, envolvendo 1.000 canadianos concluiu que a legalização da cannabis é apoiada, na íntegra ou parcialmente, por 68% da população.
The Globe and Mail de 29 de fevereiro de 2016

Mundo: Organismo de controlo de narcóticos das Nações Unidas contra a "guerra às drogas"
Abordagens militares contra as drogas e a punição excessiva de consumidores contraria os tratados da ONU, afirmou o organismo de controlo de narcóticos da ONU, a 2 de março, defendendo políticas que coloquem a saúde das pessoas primeiro. "As convenções nunca apelaram a uma guerra às drogas", disse Werner Sipp, presidente do International Narcotics Control Board, com sede em Viena.
Alliance News de 2 de março de 2016

Ciência: Crowdfunding sobre a cannabis e cancro
Há uma iniciativa de crowdfunding para arrecadar dinheiro para a investigação sobre canabinóides e cancro no cérebro.
Ensaio clínico sobre cannabis e cancro

Ciência/Humanos: Spray de cannabis reduz sintomas de abstinência em consumidores de cannabis
Num estudo controlado por placebo de oito semanas, o spray de cannabis Sativex numa dose até 108 mg THC reduziu os sintomas de abstinência de cannabis em consumidores de cannabis durante a abstinência, mas foi associado a menos efeitos psicológicos.
Centro de Dependência e Saúde Mental, Toronto, Canadá.
Trigo JM, et al. Drug Alcohol Depend. 2016 fev 23. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Pessoas com stress pós-traumático têm baixos níveis de endocanabinóides no cabelo
Um estudo com 38 rebeldes sobreviventes de guerra no Uganda que sofriam de stress pós-traumático e 38 rebeldes sobreviventes de guerra sem stress pós-traumático mostrou que os que tinham stress pós-traumático apresentavam níveis mais baixos de endocanabinóides nos cabelos. Os autores escreveram que "as reduções observadas nos endocanabinóides podem explicar o estado inflamatório aumentado, bem como a incapacidade de extinguir memórias de medo observadas no stress pós-traumático. Os nossos resultados vêm somar-se às evidências acumuladas que apontam o sistema endocanabinóide como um alvo para o reforço farmacológico na psicoterapia do stress pós-traumático baseada na exposição".
Instituto de Psicologia e Educação da Universidade de Ulm, Alemanha.
Wilker S, et al. Psychoneuroendocrinology 2016;67:198-206.

Ciência/Células: Ativação do recetor CB1 reduz a inflamação das vias aéreas
Os efeitos da ativação do recetor de CB1 foram investigados em segmentos traqueais isolados a partir de ratinhos. Os autores escreveram que os seus "resultados indiciam um papel protetor de receptores CB1 na inflamação das vias aéreas".
Instituto de Medicina Ambiental, Instituto Karolinska, Estocolmo, Suécia.
Bozkurt TE, et al. EUR J Pharmacol. 2016 fev 16. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Consumidores de cannabis tendem a conduzir mais cautelosamente, num simulador de condução
Consumidores de cannabis foram testados sob a influência de álcool e cannabis num simulador de condução. Os autores escreveram que a "cannabis foi associada com a condução mais lenta e a maiores esforços, sugerindo uma possível consciência da limitação e tentativa de compensação".
Instituto Nacional de Abuso de Drogas, Baltimore, EUA.
Hartman RL, et al. J Appl Toxicol. 2016 fev 18. [na imprensa]

Ciência/Animais: As diferenças sexuais do sistema endocanabinóide na reação ao stress crónico
Num modelo de rato de stress pós-traumático, os machos e fêmeas reagiram de forma diferente no que diz respeito ao sistema endocanabinóide numa determinada região do cérebro (hipocampo). Os autores escreveram que seus os "resultados sustentam que se encare o sistema endocannabinóide como um alvo terapêutico para o tratamento de distúrbios associados à incapacidade de lidar com o medo em machos e fêmeas”.
Departamento de Psicologia da Universidade de Haifa, Israel.
Zer-Aviv TM, et al. Hippocampus. 2016 mar 1. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis altera o processamento das emoções
Ao usar o chamado potencial de eventos relacionados (PER), que mede a resposta do cérebro, em consumidores de cannabis e não consumidores, um cientista descobriu que "existe uma relação complexa entre o consumo de cannabis e o processamento das emoções que parece ser modulado pela atenção".
Departamento de Psicologia da Universidade do Estado do Colorado, Fort Collins, EUA.
Troup LJ, et al. PLoS One. 2016;11(2):e0149764.

Ciência/Humanos: TDAH está associado com álcool e consumo de cannabis
Num estudo com 5080 pacientes que sofrem de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) em adultos, os sintomas de hiperatividade foram associados a um consumo problemático de álcool tanto em homens como em mulheres, e ao consumo problemático de cannabis em homens.
Centro de Dependência e Saúde Mental, em Toronto, no Canadá.
Kolla NJ, et al. BMC Psychiatry 2016;16(1):50.

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis por adolescentes teve efeitos negativos na função cerebral
Num estudo de 18 meses, com 22 adolescentes consumidores de cannabis e 43 não-consumidores o consumo de cannabis resultou numa diminuição na conectividade funcional entre certas regiões do cérebro. Os autores escreveram que os seus resultados sugerem "que a exposição repetida à cannabis durante a adolescência pode ter efeitos prejudiciais sobre a conectividade funcional no cérebro em descanso, inteligência e função cognitiva".
Faculdade de Medicina da Universidade de Minnesota, Minneapolis, EUA.
Camchong J, et al. Cereb Cortex. 2016 fev 23. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis durante a gravidez foi associado a menor peso ao nascer
Num estudo com 344 mulheres aborígenes australianas grávidas, 1 em cada 5 mulheres (20,5%) consumiu cannabis durante a gravidez e 52% fumam cigarros. Em comparação com mães que não consumiram cannabis ou cigarros, as mães que consumiram cannabis tiveram bebés em média 565 g mais leves.
Universidade de Melbourne, Austrália.
Brown SJ, et al. BMJ Open 2016;6(2):e010286.

Relembrando o passado

Um ano atrás

Dois anos atrás

[Voltar à visão geral]  [Página da IACM]


up

Conferências

The Cannabinoid Conference 2017 of the IACM, 29-30 September 2017, Cologne, Alemanha.

IACM on Twitter

Follow us on twitter @IACM_Bulletin where you can send us inquiries and receive updates on research studies and news articles.